pool me in
DicasTemas e Locais

Foto: I Hate Flash

Céu azul, altas temperaturas, clima de férias no ar. Não restam dúvidas: o verão veio com tudo! E, para aproveitar a estação mais quente do ano, nada melhor do que uma pool party daquelas, com direito a piscina o dia inteiro, comidas e bebidas deliciosas e as melhores companhias, não é? Mas como colocar esse “sonho de uma noite de verão” em prática?

Bom, se você não tem uma piscina por perto, não se desespere. Uma alternativa às pool parties são as boat parties, isto é, as festas em barcos, que podem acontecer no mar, no rio ou até mesmo em um lago, se for o caso. Se nada disso for viável, até mesmo uma piscina inflável – com os truques certos – pode resolver o problema. Seja qual for a situação, o que não pode faltar em uma pool/boat party inesquecível? Nós te contamos a seguir:

1. Capriche na escolha do lugar

Aqui, como há a necessidade de termos água envolvida, a escolha do espaço é importantíssima para o desenrolar do evento. O ideal é contar com uma piscina com algum espaço ao redor para acomodar os convidados, a decoração e os petiscos e bebidas. Acomode as cadeiras de jardim, de praia ou, se você quer algo mais informal, almofadas ou esteiras para garantir um ambiente aconchegante para os participantes entre um mergulho e outro.

A escolha do lugar também poderá influenciar na decisão sobre os comes e bebes. É nessa hora que se vê a viabilidade de fazer um churrasco – se o local tiver uma churrasqueira ou se houver capacidade para colocar uma portátil -, de colocar uma grande mesa com as comidas ou, se a coisa for mais “profissa”, contratar um serviço de buffet para servir petiscos especiais aos participantes. Se houver espaço e condições financeiras, disponibilizar um freezer ou um carrinho de picolé é uma ideia que combina perfeitamente com os dias mais quentes do ano! Contratar um serviço de bar para criar drinks ~refrescantes~ e supercoloridos também cai muito bem!

2. De olho na infraestrutura

Se estiver tudo resolvido com essa parte, entremos nos detalhes: existem tomadas e/ou fontes de energia ao redor do espaço? Se não houver, considere alugar um ou mais geradores para garantir o funcionamento dos equipamentos eletrônicos e evitar dores de cabeça durante o evento.

Outra questão: como será feito o descarte dos resíduos? É essencial retirar todos os restos de alimentos e garrafas de bebidas da piscina e de seu entorno após o fim do evento. Isso é especialmente importante se estamos falando de uma boat party, para que não haja restos de materiais jogados no mar ou no rio depois que a festa terminar. O meio ambiente agradece!

3. Invista na decoração para criar um clima de verão!

Definido o espaço, vamos a uma das partes mais divertidas de se organizar uma pool party: elaborar a decoração. Vale tudo na hora de criar uma atmosfera de verão: cadeiras, esteiras, cangas, boias, guarda-sóis, mesinhas portáteis, coolers decorados, tudo aquilo que te faça se sentir nas areias da praia e de frente para o mar.

Como estamos falando de banho de piscina – ou de mar/rio, a depender do caso -, não se esqueça de disponibilizar toalhas sequinhas para os seus convidados, utilizando-as, inclusive, como mais um item de decoração do evento. Invista em cores vivas e em uma decoração leve para compor o cenário perfeito para se divertir, relaxar e, quem sabe, pegar aquela cor e afastar o famigerado “bronze de escritório!”

Fique ligado! Para não correr risco de acidentes com vidro na piscina, uma boa ideia é apostar nos copos descartáveis ou retornáveis. Você pode, inclusive, pedir que os participantes levem e/ou “criem” seus próprios copos para deixar o evento mais divertido. Ou, se for o caso, você pode presenteá-los com copos personalizados do evento, que poderão ser reaproveitados ou utilizados como um souvenir.

4. Engaje os participantes

Este item é imprescindível em qualquer tipo de evento, mas, no caso das pool parties, ele ganha uma importância especial. Já está mais do que provado que os melhores eventos são aqueles que investem na experiência dos seus participantes, então de nada adianta uma estrutura incrível se o evento não conseguir engajar os seus participantes. Isso é o que REALMENTE faz o evento ser inesquecível e permanecer “na boca do povo” mesmo depois de acabar.

O que nós queremos dizer é que a pool party deve criar um clima de descontração e um ambiente propício à interação entre os participantes. Crie uma pista de dança – o que envolve escolher as músicas certas, como falaremos no próximo tópico – e dê espaço para as pessoas circularem livremente ao redor dela, o que facilita bastante a conversa entre as pessoas. Se o evento durar o dia inteiro, você pode organizar jogos e brincadeiras especiais na piscina para deixá-lo mais divertido.  E lembre-se sempre: menos é mais! Quando estiver montando a decoração, coloque poucas cadeiras para que os convidados “sejam forçados” a circular por todo o evento!

5. Aumente o som: música une as pessoas!

Não há como negar o poder que tem a música certa tocada na hora certa. Sim, nós sabemos que cada evento tem o seu próprio estilo musical e que isso fica a critério da produção de cada um deles, mas o que não pode faltar é estabelecer uma conexão com o público da festa. Seja eletrônico, pop, brasileiro, rock, funk etc., o estilo musical tocado deve ser a que o povo quer ouvir.

Como já dissemos acima, a palavra de ordem é engajamento, então invista em músicas que combinem com o perfil do seu público e divulgue com antecedência, pelo menos em linhas gerais, qual será o principal estilo adotado, para atrair os participantes antes de as portas se abrirem. Além disso, ao informar o estilo musical e/ou as atrações antes do dia da festa, você atrai quem realmente quer estar ali e evita surpresas desagradáveis para quem não curte um ou outro ritmo.

E aí, gostou das nossas dicas para organizar uma pool party? Divida suas opiniões conosco nos comentários!

 

eventick - open bar
Temas e Locais

Pagar por cada item consumido ou montar um esquema open bar – como escolher entre esses dois modelos? Ao pé da letra, open bar quer dizer “bar aberto”, o que significa que o público tem acesso ilimitado a determinadas bebidas (em alguns casos, a todas as disponíveis) durante o evento.

Essas duas palavrinhas mágicas podem atrair muitos participantes para um evento, mas, produzir um evento nesse sistema requer um planejamento bem feito, boas parcerias e muita organização.

A data e horários escolhidos são questões bem relevantes. Em geral, as pessoas costumam beber mais do que o comum em um evento open bar e precisam do dia seguinte para se recuperar. Por isso, é interessante que a festa seja no final da semana ou próxima a um feriado. O horário de início também deve ser bem estudado para que a diversão não acabe cedo demais e não permita que os convidados se sintam lesados.

Confira o nosso guia com algumas ideias para acertar na dose e elaborar um open bar de sucesso:

1. Defina bem o seu público

Uma das grandes vantagens de um open bar é poder beber o quanto quiser sem ter que tomar aquele susto na hora da conta. O seu público-alvo está disposto a pagar um valor mais alto nos ingressos para participar desse esquema de evento? Que tipos de bebida são mais consumidos entre os seus convidados? Quantas pessoas são esperadas? Responder a essas perguntas é fundamental para saber como e quanto dinheiro investir.

Nesse tipo de evento, computar bem a quantidade de pessoas é primordial, pois contratempos como falta ou má conservação de bebidas não são aceitos. Geralmente, calcula-se 1 litro de uísque para cada 10 homens e 1 litro de vodka para cada 10 pessoas. De modo geral, os homens bebem mais que as mulheres, o que também deve ser contabilizado e pode influenciar na escolha e nas quantidades.

Refrigerantes, sucos ou água de coco também devem ser disponibilizados para acompanhar essas bebidas. O gelo também não pode ser esquecido! Na hora de servir, ele deve ser colocado em baldes térmicos e estar em quadrados ou picado.

Estima-se, em média, 1 kg de gelo por pessoa durante um evento desse tipo. Para manter a refrigeração das bebidas, utilizam-se as lascas ou o gelo em blocos.

2. Invista na infraestrutura do evento

Nesse tipo de evento, é ideal que haja mais de um bar espalhados pelo lugar e que todos sejam acessíveis e bem sinalizados. Bons serviços, profissionais experientes e agilidade no atendimento são importantes para evitar contratempos como a formação de filas, por exemplo.

Bebidas Premium são muito procuradas, portanto separe locais para armazená-las da forma correta e disponibilize com antecedência tudo o que for necessário na hora de servi-las.

Este tipo de evento costuma durar mais do que os “tradicionais”, portanto garanta o conforto e o bem-estar do seu público, espalhando poltronas ou sofás no espaço onde o evento será realizado.

Haverá um cardápio especial ou refeição inclusos no pacote, como no caso das festas de Réveillon, que costumam servir café da manhã? Se sim, tenha um cuidado redobrado e cheque onde e como os comes e bebes serão guardados, produzidos e servidos aos participantes – já falamos sobre esse assunto anteriormente aqui no blog.

Se possível, reserve um espaço para táxis em frente ou próximo ao local, já que eles provavelmente serão o principal meio de deslocamento dos seus convidados. Alguns eventos fecham parcerias com aplicativos de táxi como o Easy Taxi99taxis ou Uber, por exemplo, para dar descontos aos participantes que forem ao evento ou que escolherem determinada forma de pagamento.

3. Feche parcerias

Ok, chegou a hora da verdade: todos nós sabemos que um evento open bar não é necessariamente a opção mais barata para os organizadores e para o público. Apesar disso, muitos produtores investem nesse tipo de evento e, mais ainda, muitos participantes procuram eventos open bar quando desejam ir a uma boa balada. Sabendo que há demanda por eventos open bar, mas nem sempre há a grana necessária para custeá-los, como lidar com esse impasse?

Uma ótima alternativa para custear um Open Bar é apostar nas parcerias, apoios e patrocínios. Empresas de bebidas são as opções ideais, pois podem se beneficiar com a exposição de suas marcas antes, durante e depois do evento, com publicidades impressas e audiovisuais, promoters e/ou áreas reservadas, além de distribuir brindes no evento.

Outra vantagem é que, ao comprar as bebidas em grandes quantidades, elas podem ser vendidas a preços bem mais baixos, no sistema de caução ou podem ser negociadas com os parceiros. É possível, inclusive, conseguir os produtos a preço de custo ou até gratuitamente em troca da exposição da marca.

Elabore uma proposta de parceria – o Sponseasy pode te ajudar – bem detalhada e apresente aos possíveis patrocinadores. Feito isso, exercite sua capacidade de negociação e pode começar os trabalhos!

4. Garanta um bom custo-benefício para o evento

É verdade que algumas pessoas topam pagar mais caro para ir a um evento open bar, mas é importante acertar no valor a ser cobrado. Como falamos lá no item 1, conheça o perfil do seu público e avalie cuidadosamente as faixas de preço em que seu evento pode se encaixar.

Dependendo do preço cobrado pelo ingresso, alguns participantes podem “se assustar”, mas é aí que entra o trabalho na área de comunicação para mostrar aos participantes o que está incluso no pacote e lembrá-los de que o consumo será liberado durante todo o evento. Isso pode ser conseguido ao oferecer bebidas de qualidade, mesmo que para tanto seja necessário reduzir as opções disponíveis.

5. Tenha uma boa estratégia de comunicação

Temos duas boas notícias para você: primeiro, eventos open bar costumam atrair o público por si sós – basta que ofereçam boas bebidas e um tenham um bom custo-benefício -, o que já facilita bastate o seu trabalho na divulgação; em segundo lugar, em geral esse tipo de evento conta com muito material de divulgação e você deve tirar o melhor proveito possível disso!

Não se esqueça de ressaltar que o evento é open bar, para atrair o seu público desde a pré-venda dos ingressos. Aproveite para divulgar também quais as bebidas serão servidas, especialmente as muito procuradas ou adoradas pelo público. Além disso, mostre aos participantes que eles terão a liberdade de poder consumir o quanto quiserem e escolher entre várias bebidas incríveis sem nenhum custo adicional. Bottoms up!

E aí, prontos para o brinde? Compartilhe conosco suas dicas para eventos open bar nos comentários!

eventick - blocos de carnaval
Temas e Locais

Que rufem os tambores: o tema do texto de hoje é sobre ninguém menos do que aquele que também é conhecido como a folia de Momo ou simplesmente os quatro dias mais esperados do ano: os dias de carnaval.

É só pronunciar essa palavrinha mágica que todo o sentimento de felicidade e animação fica aflorado e a vontade de cair na brincadeira só aumenta. Como se não fosse bom o suficiente, nós ainda temos boas notícias sobre tal assunto de interesse geral da nação: é possível, sim, se divertir com pouco nesta época do ano.

Pra quem procura por diversão garantida pra toda a turma e pela oportunidade de reunir amigos e conhecer novas pessoas em um só lugar, a criação de um bloco de carnaval traz todos os ingredientes para uma festa e tanto.

Para organizar seu bloco de carnaval com tudo a que você tem direito, listamos alguns itens que você deve considerar antes de entrar nessa empreitada. Todos estão prontos?

1. “Colocando ordem na casa”

1.1 Legalização:

Antes de começar a arrumar seus apetrechos e movimentar a trupe, o grupo deve procurar o órgão gestor do município para pedir uma autorização. Pedirão alguns documentos dos responsáveis, previsão de público, horário e data.

Os responsáveis pelo trânsito também devem ser contactados para fazer uma análise das vias que serão usadas, pois podem pedir para fazerem algumas alterações;

1.2 Taxas:

Dependendo do tamanho do evento, algumas taxas podem ser cobradas para a limpeza e participação de agentes. Caso o desfile seja feito sem autorização, os responsáveis podem responder por danos ocorridos e obrigados a pagar multa.

2. Todos prontos para cair no passo!

2.1 Participantes:

A união de um grupo de amigos, de 15 a 30 pessoas, já é o suficiente para armar um bloco de carnaval. Qualidade é importante nesse assunto: lembre-se de chamar pessoas animadas e que tenham a ver com o perfil de sua turma e de seu bloco – esse é um fator essencial!;

2.2 Identificação:

É sempre legal ter símbolos que identifiquem o grupo, o que pode ajudar, também, a atrair novos participantes para o bloco. Camisetas, “flyers”, bandeiras, bonés, e estandartes são boas opções;

2.3 Hino:

Criar aquela música animada e que diga um pouco do que a bloco representa é um item importante de organização. Um refrão bem criativo também irá ganhar destaque no desfile;

2.4 Batucada:

Os principais instrumentos de um bloco são o surdo (ou alfaia), caixa, e voz dos participantes, mas não custa nada implementar chocalhos, instrumentos de sopros, repique, cuíca e o que mais tiver a disposição.

Se estamos falando de um bloco participante do carnaval pernambucano, uma orquestra de frevo será a peça-chave para o sucesso e a adesão de novos membros ao bloco. Certifique-se que todos estejam entrosados, uma batucada sem ritmo pode se tornar uma grande dor de cabeça;

3. “Com que roupa eu vou?” Como será a apresentação do bloco ao mundo?

Im-por-tan-tís-si-mo: antes de mais nada, qual será o nome do seu bloco? A tradição nos ensina que, para fazerem sucesso, a maioria dos nomes dos blocos de rua costuma dar margem a duplo sentido e à criação de trocadilhos, criando uma atmosfera bem-humorada e criativa, que tem a cara do carnaval.

Inspirações não faltam:

Me Beija que eu sou Cineasta (Rio de Janeiro/Recife): criado no Rio, agora acontece também no Recife. Reza a lenda que a justificativa foi realmente usada por um conhecido cineasta brasileiro;

Suvaco do Cristo (Rio de Janeiro): despojada e literal referência à Cidade Maravilhosa. O nome seria totalmente diferente, até que, em uma entrevista, Tom Jobim reclamou do mofo dos armários de sua casa, alegando que lá era o próprio suvaco do cristo.

Só o cume interessa (Rio de Janeiro): criado por um grupo de montanhistas cariocas, o bloco faz uma referência bem-humorada ao objetivo principal dos montanhistas: chegar até o cume da montanha escalada.

Hoje a Mangueira entra (Recife/Olinda): o nome desse bloco cria uma brincadeira de duplo sentido envolvendo o dia do desfile da Estação Primeira de Mangueira no sambódromo carioca e uma outra interpretação para a palavra “mangueira” que significa… melhor pararmos por aqui, né?

Mulher Na Vara (Recife/Olinda) – Antes que você pense no que esse nome pode significar, lembre-se de que não é tão fácil se equilibrar em cima de uma vara (sim, literalmente!) no meio da multidão e tire suas próprias conclusões!

Além disso, tenha em mente que o desfile funciona melhor com um puxador. Parte da animação depende dele e, por isso, quanto mais carismático ele for, mais animado será o bloco. Madrinha, estandarte, fantasias e porta-estandarte também são peças que fazem toda a diferença!

E você, já tentou organizar um bloco de carnaval com os seus amigos? Tem mais ideias para essa empreitada carnavalesca? Divida conosco nos comentários!

eventick - evento de fim-de-ano réveillon
Temas e Locais

Mal chegamos a outubro e aquele pensamento já surge: onde e como serão as nossas festas de fim de ano? Seja para comemorar uma conquista, reencontrar os amigos e/ou a família ou até mesmo para ter aquele merecido descanso, é nessa hora que muita gente já começa a se mexer para fazer de dezembro um dos meses mais legais do ano.

Pode se preparar para as confraternizações – ou confras, para os íntimos – e, claro, para a noite de réveillon. Sim, cada um desses eventos tem suas próprias características, mas o que todos eles devem ter em comum? Já diz o ditado: “dê às pessoas o que elas procuram e elas virão”. Mas o que, de fato, o público quer em um evento? Música legal, drinks incríveis e boa comida. Todo o resto é consequência.

Parece fácil, mas nós sabemos que a estrada é longa até que tudo esteja perfeito no grande dia. Por isso, dividimos as festas de fim de ano em categorias para facilitar o seu trabalho e ir direto ao que realmente interessa para produzir um ou outro tipo de evento.

Aqui vão algumas dicas para organizar uma festa de fim de ano daquelas para ficar na memória:

1. Confraternização da empresa

Que tal “pensar fora da caixa” e elaborar uma confra original com os colegas de trabalho? Ninguém quer participar de mais uma confraternização igual a todas as outras. Uma boa ideia é procurar um local ou uma programação inusitada para entreter os participantes. Lembre-se: a palavra-chave aqui é engajamento!

Passar um dia inteiro em um hotel fora da cidade ou colocar os membros do time para participar de atividades completamente diferentes daquelas praticadas no dia a dia pode ser uma boa ideia. Crie um clima de expectativa e, se possível, não deixe os seus convidados saberem onde e como será a celebração até a hora de começar. A revelação da surpresa pode modificar totalmente a experiência deles.

Decidida a proposta da confra, surge outro ponto importante: acompanhantes serão permitidos? É preciso definir com antecedência para planejar os detalhes, os gastos e, se for o caso, calcular as quantidades do que será disponibilizado, como alimentos e bebidas, por exemplo.

Para a parte de alimentação, considere a possibilidade de contratar um bom serviço de buffet. É uma ideia prática e que acaba facilitando bastante o trabalho criação e produção dos pratos a serem servidos.

Segundo o Ben Hindman, em média, uma pessoa bebe dois drinks na primeira hora do evento e mais um drink por cada hora seguinte. Claro que essas quantidades podem variar, mas com esse número já dá para fazer uma estimativa do que você deverá disponibilizar para o evento.

Para que todos sejam contemplados, você pode consultar os seus colegas sobre suas preferências alcoólicas e sobre quantos deles preferem bebidas sem álcool. O ideal é disponibilizar pelo menos duas opções alcoólicas e, como cerveja e whisky, por exemplo, e três não alcoólicas como água, refrigerante e suco.

Seguem algumas estimativas médias de bebidas alcoólicas por convidados:

– Cerveja: 60 garrafas para cada 25 convidados

– Whisky: 3 garrafas para cada 25 convidados

– Vinho: 9 garrafas para cada 25 convidados.

Importante! Apesar de sua estimativa prévia, abasteça o bar com mais garrafas do que o esperado, para o caso de convidar parceiros ou fornecedores e/ou a festa durar mais do que o previsto.

2. Confraternização da turma

Se na organização da confra do escritório, por mais informal que seja, você ainda tem que manter a linha, aqui a ideia é oposta. Entre amigos, a proposta é se divertir e fortalecer as conexões e os relacionamentos entre as pessoas.

Escolha o lugar e a data com bastante antecedência, para que todos possam se programar a tempo. Nesse tipo de evento, menos é mais: o que mais interessa são as pessoas envolvidas e como elas vão aproveitar aquela experiência. Mais uma vez: engajamento, engajamento, engajamento.

Para deixar o evento mais intimista, a melhor alternativa é fazê-lo na casa de algum participante. Em geral, sábados à noite e domingos na hora do almoço são horários complicados, especialmente se o evento for realizado em algum bar ou restaurante, portanto é melhor evitá-los.

É nessa hora que o planejamento entra em cena: quais serão os alimentos e bebidas que serão servidos? Como aproveitar bem o espaço? Como vai ser a decoração?

Em uma festa em casa, também segundo o Ben Hindman, geralmente calculamos uma média de três a quatro copos por pessoa. Aqui é importante ser (bem) honesto: você e seus amigos pretendem beber mais do que isso? Se sim, coloque tudo na ponta do lápis pra evitar surpresas desagradáveis. Não se esqueça dos itens não alcoólicos, que também não podem ficar de fora de jeito nenhum.

Em relação às comidas, primeiramente, você deve definir se haverá uma refeição principal – almoço ou jantar – ou se é mais interessante servir uma variedade maior de petiscos, o que é mais comum em eventos menores. Vamos às quantidades:

– 6 aperitivos por pessoa por hora

– Sanduíches: 1,5 por pessoa

– Acompanhamentos: 1,5 copos

No quesito decoração, deixe a criatividade fluir. Se o espaço for pequeno, experimente retirar as cadeiras. As pessoas gostam de interagir e se movimentar pelo ambiente. E as pessoas – a maioria delas, pelo menos – gostam de dançar. Conclusão? Aumentar o espaço de circulação só trará ganhos para a festa. Simples assim.

Invista em itens baratos que podem fazer a diferença como luzes – até mesmo luzes de natal utilizadas de forma criativa -, fotos dos amigos e bandejas de comes e bebes distribuídas por locais inusitados. Reserve um espaço especial para a pista de dança e lembre-se de colocar um minibar ao lado dela. Acredite: tudo se desenrola a partir daí.

3. Réveillon

Chegou a hora por que todos esperavam: o momento de celebrar o que passou e receber o que está chegando. O mais legal das comemorações de réveillon é que existe um grande leque de opções para atender a cada tipo de público. Em comum, elas têm o desejo de criar experiências inesquecíveis para os participantes. E como se faz isso?

Você tem que dar às pessoas uma boa razão para ir ao seu evento. Segundo o produtor Pedro Toscano, as festas de réveillon mobilizam a esperança, as perspectivas de um novo começo para as pessoas e, por isso, devem satisfazer as expectativas do público. Ele acredita que a chave para uma experiência positiva é a qualidade do serviço oferecido aos participantes em todas as áreas do evento, devendo estar presente nos serviços de bar, alimentação, infraestrutura e banheiros.

Neto Feitosa, produtor da festa Celebration, também concorda: “não tem crise para evento bom e bem-feito”. Segundo ele, o principal ingrediente para uma festa de réveillon inesquecível é “surpreender o público e entregar um evento ainda melhor do que o prometido”.

Para promover o evento, quanto mais se falar sobre ele, melhor. Invista (bastante!) em comunicação, unindo assessoria de imprensa e um trabalho eficiente nas redes sociais. De acordo com uma pesquisa feita pelo Events University, 47% da venda dos tickets dos eventos pesquisados por eles foram diretamente influenciados por comentários feitos no Facebook, o que nos leva à conclusão de que as pessoas são muito influenciadas pelos seus amigos e grupos de convivência.

Além de criar perfis do evento nas redes sociais, certifique-se de atualizar frequentemente o conteúdo das páginas com fotos, textos e vídeos, para investir na interatividade e no engajamento do seu público-alvo. Acredite: poucas coisas são mais poderosas do que o famoso boca a boca.

rockstar-daniel
Entrevistas

Começamos hoje a série Rockstars, com produtores, organizadores e parceiros que estão fazendo a diferença em vários tipos de eventos no país.

Em homenagem ao Dia dos Pais, que será no próximo domingo (11),  entrevistamos Daniel Santana, um capixaba que vive no Recife desde a infância, e é produtor de eventos, músico e pai de Clara. Dan, como é conhecido, atualmente trabalha com produtoras como a Go! Elephants e Golarrolê. Confira:

1) Como é conciliar tantas atividades – produção, música, agenda agitada – com a rotina de ser pai de uma menina?

Apesar da Clara morar com a mãe, nós somos vizinhos. Sempre que posso, pego a Clara na escola, que fica ao lado de casa, e a levo à ginástica durante a semana com o computador a tiracolo, assim eu posso vê-la treinar e continuar trabalhando. Nos dias de eventos, normalmente no fim de semana, é um pouco mais complicado. Eu gosto de chegar cedo e acompanhar todo o processo de perto, o que é sempre um pouco mais corrido, mas eu já cheguei a levar a Clara em algumas oportunidades para mostrar como funciona a montagem da estrutura de palco e a passagem de som para ver se ela toma gosto pela coisa. Pelo visto está funcionando (risos).

2) Como você entrou no universo da música e produção de eventos? Há quanto tempo trabalha com isso?

Eu entrei nesse meio ainda na adolescência quando tocava em uma banda de rock local, mas o público não era muito assíduo. A partir disso, eu e alguns amigos da área sentimos a necessidade de trazer bandas mais conhecidas do sul do país, para que as bandas locais pudessem ter acesso a um público mais amplo. Com o passar do tempo, a coisa foi ficando mais profissional e começamos a explorar outras áreas, cada um com sua respectiva produtora e segmento musical.

3) Na sua opinião, quais as principais vantagens e os maiores desafios de trabalhar nessa área?

No lado profissional, o maior desafio é inovar e conseguir atingir o público com algo bom e marcante e é sempre desafiador produzir um evento que agrade em 100% ao consumidor, referente a serviço. Pelo lado pai, é acordar cedo aos sábados e domingo para ter mais tempo com a Clara no fim de semana (risos), tendo em vista que a maioria dos nossos eventos acontece na sexta e/ou sábado. Existem várias vantagens em atuar nesse setor, entre elas o fato de você poder tirar um ou dois dias para trabalhar em casa e fazer o seu próprio horário, isso é fundamental. Acredito que existam pessoas que gostariam de ter essa oportunidade.

 

4) Como você vê o mercado de eventos hoje? Quais as perspectivas e/ou projeções que você imagina para o futuro da área? 

O mercado só tende a crescer hoje no Recife. Estão surgindo novas festas e produtoras, eventos cada vez mais profissionais e bem organizados, gerando um bom número de empregos diretos e indiretos. Isso é muito bom para a cidade e também demonstra o quão interessante é o mercado, que faz parte de um dos segmentos em crescimento no Brasil e principalmente no Grande Recife.

eventick - música para eventos
Dicas

Você é do tipo que já acorda com uma música na cabeça, não consegue passar um dia sem ouvir uns acordezinhos básicos mesmo que esteja na semana da realização do seu evento ou que basta ouvir um refrão mais “chiclete” para passar horas cantarolando aquela música? Chega mais, amigo. Você faz parte do time que entende perfeitamente a importância de escolher a música ideal para um evento!

A escolha musical do evento está entre os fatores que mais influenciam a experiência dos participantes, ajudando a criar o clima, estabelecer o tom e modificar o humor dos convidados.

Seja em um festival, celebração de grande porte ou festa particular, o som que tocará deverá agradar a organizadores e participantes, garantindo um bom resultado e a satisfação de todos os envolvidos. É o que diferenciará um bom evento de um inesquecível.

Mas, diante de tantas ofertas e das particularidades de cada tipo de evento, como acertar na escolha “da batida perfeita” para determinada ocasião? Apertamos o play para te dar algumas dicas imperdíveis para essa missão. Hey, ho, let’s go:

1. Qual o estilo do evento e quem deverá comparecer?

O primeiro passo para escolher a música ideal para um evento é saber qual o perfil e o objetivo dele. Trata-se de uma festa de casamento, de um evento de gastronomia e vinhos ou estamos falando de um evento de grandes proporções?

Quanto maior o evento, mais importante é encontrar atrações que sejam capazes de mobilizar o maior número possível de pessoas ao mesmo tempo. Além disso, você precisa conhecer o seu público, a que faixa etária ele pertence, que tipo de música curte e o que espera de um evento como o seu.

Se o seu público é muito heterogêneo, com pessoas de diversas faixas etárias e gostos musicais, e você não tem como “mapear” perfeitamente o que ele gostaria de ouvir, um aplicativo que pode te ajudar bastante é o Spotify.

Com ele, você não precisará fazer o download das músicas que tocarão em sua festa, já que funciona por stream e possui um acervo de mais de 20 milhões de canções que podem ser encontradas por título, artista, álbum, estilo ou playlist. Você poderá ter acesso ao app gratuitamente ou pagando um valor de R$ 14,90, o que te confere algumas vantagens como poder baixar as músicas e ouvi-las off-line, sem interrupções das propagandas. Vale muito a pena!

2. “Alô, som!” O lugar escolhido tem a estrutura necessária?

Depois de definir a proposta e o público-alvo do evento, entra em cena a pergunta que não quer calar: o local escolhido tem a estrutura necessária para os seus convidados e para as atrações musicais?

Eventos mais intimistas ou em que não haverá banda tocando ao vivo funcionam muito bem em ambientes menores e, se possível, com um sistema eficiente de luz e som, se você desejar criar uma pista de dança para os participantes.

Estamos falando de música ao vivo para um número reduzido de pessoas? Auditórios e pequenos teatros são a opção perfeita, pois elas terão um som de qualidade em um espaço confortável. Contudo, se a sua ideia é muita gente, som alto e diversão no máximo, nada melhor do que espaços abertos e/ou ao ar livre.

Cheque uma, duas, três vezes o funcionamento dos equipamentos, a estrutura para montar/guardar/testar o palco e os instrumentos, bem como a segurança da rede elétrica. Vai precisar montar uma estrutura de palco? Verifique se o espaço tem uma área reservada para carga e descarga de equipamentos, para que tudo seja feito sem atrapalhar a vizinhança nem comprometer a organização do restante do evento.

Atenção! Pesquise se o local tem limitações de horário e de barulho. Isso tudo é bem importante. Se você não estiver 100% seguro para lidar com essa parte da organização, contrate profissionais experientes para ajudá-lo e não deixe nada para a última hora.

3. O som e a fúria: invista nos equipamentos de som e aumente o volume!

De nada adianta ter um cenário perfeito se o sistema de som, luz e imagem (se houver) não estiver à altura, não é verdade? Lembre-se: o assunto é entretenimento e você pretende marcar o seu evento na memória das pessoas!

Vale a pena investir um pouco mais neste item, acredite. Contrate um engenheiro ou uma equipe de som com bons equipamentos para avaliar todas as possibilidades, corrigir eventuais problemas, além de criar efeitos de luz e som para deixar as apresentações ainda melhores.

Mesa de controle, microfones, computadores, amplificadores, refletores, tudo isso tem de estar a ponto de bala no momento em que as luzes se acenderem. Assim como o que dissemos acima, certifique-se de que tudo está funcionando bem antes de soltar o som!

4. Banda, DJ ou os dois?

Depende do estilo do evento e, claro, do quanto que você poderá investir nessa parte. Eventos de grande porte como festivais de música costumam misturar os dois, deixando o evento mais dinâmico, eclético e divertido. Além disso, a presença de banda e DJ também tem mais chances de atingir mais pessoas, que prefiram um ao outro.

Mas, se não for possível, analise calmamente os prós e contras de cada um. DJs são mais versáteis em termos de quantidade de músicas disponíveis e, normalmente, cobram preços mais camaradas; a música ao vivo, por sua vez, engaja mais a platéia/convidados do evento e ainda tem mais chances de surpreender o público.

Também vale a pena considerar na hora de escolher a música ideal para um evento o que dissemos acima sobre o espaço onde ele será realizado, o que influenciará na qualidade e no alcance do som, bem como no próprio desenrolar da celebração. Seja qual for a sua opção, tenha em mente o que for melhor para fazer com que o evento seja incrível!

5. Deixe o seu público ajudá-lo na seleção musical do evento

Uma estratégia interessante para deixar o processo de escolha das músicas mais democrático é fazer com que os participantes influenciem de forma mais direta na escalação das músicas que tocarão no evento.

Isso funciona melhor se o evento for de menor porte e os participantes tiverem um gosto musical parecido. Uma ferramenta que pode ajudá-lo a pôr esta ideia em prática é o Vitrola, que está disponível para iOS e Android.

Você deverá configurar o local do seu evento para ser uma Vitrola Zone, o que permite que os usuários do evento se conectem à playlist que está sendo tocada no seu evento e possam escolher a música que desejam ouvir. O app é muito utilizado em bares e restaurantes e faz o maior sucesso entre os adeptos.

Outra ideia, caso o seu evento seja de maior monta, é realizar uma enquete prévia com os participantes na página do evento na web para que eles votem pela ordem dos shows em um festival, por exemplo, ou mesmo “escolham” dentre as opções oferecidas qual a que mais desejam ver no evento.

E aí, mais alguma ideia para ajudar a escolher a música ideal para um evento? Estamos de ouvidos bem abertos para conhecer a sua opinião!