Rockstar: Daniel Santana

Dan Santana, é produtor de eventos, músico, pai de Clara e fala sobre família, dia-a-dia, carreira e o que acha do mercado em que trabalha.

rockstar-daniel

Começamos hoje a série Rockstars, com produtores, organizadores e parceiros que estão fazendo a diferença em vários tipos de eventos no país.

Em homenagem ao Dia dos Pais, que será no próximo domingo (11),  entrevistamos Daniel Santana, um capixaba que vive no Recife desde a infância, e é produtor de eventos, músico e pai de Clara. Dan, como é conhecido, atualmente trabalha com produtoras como a Go! Elephants e Golarrolê. Confira:

1) Como é conciliar tantas atividades – produção, música, agenda agitada – com a rotina de ser pai de uma menina?

Apesar da Clara morar com a mãe, nós somos vizinhos. Sempre que posso, pego a Clara na escola, que fica ao lado de casa, e a levo à ginástica durante a semana com o computador a tiracolo, assim eu posso vê-la treinar e continuar trabalhando. Nos dias de eventos, normalmente no fim de semana, é um pouco mais complicado. Eu gosto de chegar cedo e acompanhar todo o processo de perto, o que é sempre um pouco mais corrido, mas eu já cheguei a levar a Clara em algumas oportunidades para mostrar como funciona a montagem da estrutura de palco e a passagem de som para ver se ela toma gosto pela coisa. Pelo visto está funcionando (risos).

2) Como você entrou no universo da música e produção de eventos? Há quanto tempo trabalha com isso?

Eu entrei nesse meio ainda na adolescência quando tocava em uma banda de rock local, mas o público não era muito assíduo. A partir disso, eu e alguns amigos da área sentimos a necessidade de trazer bandas mais conhecidas do sul do país, para que as bandas locais pudessem ter acesso a um público mais amplo. Com o passar do tempo, a coisa foi ficando mais profissional e começamos a explorar outras áreas, cada um com sua respectiva produtora e segmento musical.

3) Na sua opinião, quais as principais vantagens e os maiores desafios de trabalhar nessa área?

No lado profissional, o maior desafio é inovar e conseguir atingir o público com algo bom e marcante e é sempre desafiador produzir um evento que agrade em 100% ao consumidor, referente a serviço. Pelo lado pai, é acordar cedo aos sábados e domingo para ter mais tempo com a Clara no fim de semana (risos), tendo em vista que a maioria dos nossos eventos acontece na sexta e/ou sábado. Existem várias vantagens em atuar nesse setor, entre elas o fato de você poder tirar um ou dois dias para trabalhar em casa e fazer o seu próprio horário, isso é fundamental. Acredito que existam pessoas que gostariam de ter essa oportunidade.

 

4) Como você vê o mercado de eventos hoje? Quais as perspectivas e/ou projeções que você imagina para o futuro da área? 

O mercado só tende a crescer hoje no Recife. Estão surgindo novas festas e produtoras, eventos cada vez mais profissionais e bem organizados, gerando um bom número de empregos diretos e indiretos. Isso é muito bom para a cidade e também demonstra o quão interessante é o mercado, que faz parte de um dos segmentos em crescimento no Brasil e principalmente no Grande Recife.

  • Sheila, Mark e Laura

    Sucesso e feliz dia dos pais! Sheila, Mark e Laura