Como usar aplicativos de livestream em eventos

Não tem jeito: quando falamos em engajamento com o público, poucas coisas se comparam ao livestream de um evento. Daí vem o enorme sucesso de aplicativos como Meerkat e Periscope. Veja aqui como aproveitar essa possibilidade!

streaming

Não tem jeito: quando falamos em interatividade e engajamento com o público, poucas coisas se comparam à transmissão livestream de um evento. Isso explica o enorme sucesso que os mais famosos aplicativos de livestream como o Meerkat e o Periscope têm feito junto aos usuários das redes sociais.

Mas como eles funcionam? Imagine uma espécie de Youtube ou Netflix para um público ao vivo, no qual a audiência carrega as transmissões e vai assistindo “ao vivo, a cores e sem cortes”. Pronto, é isso!

O processo é bem simples: o transmissor (que pode ser o organizador, um participante ou mesmo um palestrante ou cantor, no caso de um festival de música, por exemplo) usa o seu celular para filmar o que está acontecendo ao seu redor. O público assiste à transmissão e interage com o transmissor enviando mensagens ou comentários em tempo real.

Aqui vão algumas dicas rápidas e fáceis para entender como os apps de transmissão ao vivo funcionam e como você pode usá-los para transmitir vídeos via livestream em eventos:

1. O que você pode transmitir?

Já diz o ditado: “a voz do povo é a voz de Deus”. Então, nada mais justo do que mostrar ao público o que ele REALMENTE quer ver em um evento. Uma boa ideia é utilizar o Meerkat ou o Periscope (ou até ambos, se você quiser) para criar buzz logo na fase do pré-evento, com entrevistas com as atrações e/ou com os produtores. Para deixar ainda mais interativo, você pode pedir aos espectadores para enviar suas perguntas pelo Twitter para que os entrevistados respondam ao vivo.

Também é interessante criar pequenos teasers, mostrando a montagem/arrumação do espaço, a equipe de produção em ação e o processo de organização do evento bem antes de as luzes se acenderem. Crie um clima de “bastidores”, transmitindo vídeos exclusivos e que mostrem ao público quem está por trás de toda a estrutura que eles veem em um evento. Se possível, planeje e divulgue uma entrevista especial com um palestrante ou artista que vá participar do evento, transmitindo-a apenas para os seus espectadores.

Durante o evento, você pode captar e transmitir depoimentos da plateia e da equipe enquanto a ação acontece. Você também pode transmitir, ao vivo, os pontos altos do seu evento, levando a emoção nua e crua a quem não conseguiu comparecer.

Fique ligado! Não se esqueça de criar uma hashtag para que o seu público encontre todas as transmissões do evento mais facilmente no Twitter.

2. Quais as semelhanças e diferenças entre o Meerkat e o Periscope?

A base para o funcionamento dos dois apps é a mesma: ambos são aplicativos de livestreaming de vídeos que usam uma conta de um usuário no Twitter para transmitir e assistir a vídeos gravados no mundo inteiro. Os dois estão disponíveis na plataforma iOS, mas os vídeos podem ser vistos em smartphones, tablets ou computadores.

Dito isso, vamos às principais diferenças entre os dois aplicativos: o Meerkat permite que o usuário programe as transmissões para o futuro, assim como faz o Facebook com os posts programados. Além disso, assim que você inicia o livestream, ele já tuíta um link para o seu vídeo. No Periscope, você precisa optar pelo compartilhamento antes de publicar o link.

O Periscope permite que os espectadores assistam aos vídeos até 24 horas após a transmissão. Já o Meerkat só permite assistir ao livestream em tempo real. A boa notícia é ambos permitem que o usuário salve as transmissões no seu celular. A partir daí, é possível fazer o upload dos vídeos nas redes sociais ou no site do evento, se for o caso.

Ainda não há um consenso sobre qual dos dois é mais eficaz na transmissão de eventos via livestreaming. As opiniões se dividem e a escolha acaba se tornando uma questão de gosto de cada usuário. O Meerkat saiu na frente por ter sido lançado primeiro e ter causado aquele impacto inicial. Por outro lado, o Periscope tem o Twitter ao seu lado, investindo e procurando melhorar a usabilidade do público que utiliza o app. Como se vê, não há words of wisdom aqui, então vale a pena testar os dois e ver qual deles se encaixa melhor ao perfil do seu evento e do seu público, que é quem você de fato quer atingir com as transmissões ao vivo.

Outro aplicativo que merece nossa atenção é o Snapchat, que já é considerado um fenômeno junto ao público mais jovem. Apesar de ter um caráter mais de rede social do que de app de livestreaming, o “Snap”, como é conhecido pelos íntimos, permite que os usuários publiquem imagens, vídeos, textos e links por um curto espaço de tempo. Alguns segundos depois, bum!, a publicação desaparece. Após capturar a imagem ou vídeo, o usuário pode personalizar o que vai ser enviado, configura o prazo de validade do snap e pode escolher quais contatos receberão aquela mensagem simultaneamente. Depois que o receptor abrir a mensagem, o snap aparecerá e terá início a contagem regressiva para a autodestruição da mensagem.

O Snapchat é bem interessante para publicar aquelas imagens exclusivíssimas ou até aquele “flagra” que só pode/deve ser visto por uns poucos sortudos que estiverem online naquele  exato momento. Imagina só o buzz que isso gera dentro e fora de um evento, especialmente se houver um artista/palestrante superfamoso ou high profile envolvido na história!

3. Como promover as transmissões?

Primeiramente, crie expectativas no seu público-alvo. Anuncie com antecedência o(s) dia(s) e horário(s) em que você fará uma transmissão ao vivo e não se esqueça de relembrar os participantes conforme a data do evento for se aproximando.

Para isso, não se restrinja ao Twitter: poste em todas as redes sociais, marcando os perfis/páginas dos palestrantes, artistas ou organizadores para conferir maior visibilidade e relevância da transmissão. Se possível, destaque a exclusividade e a interatividade dos vídeos e foque na experiência do usuário, para que ele se sinta parte do evento a que está assistindo.

Incentive, também, o engajamento do público, estimulando o envio de comentários, retweets e de likes por parte dos espectadores. O Periscope, inclusive, possui uma ferramenta que permite aos usuários convidar os seus amigos para assistir às transmissões enquanto elas acontecem. Aproveite essa funcionalidade e lembre a sua audiência de convidar os amigos.

4. Invista na qualidade da transmissão

Sim, nós sabemos que parte do “charme” do livestreaming está no aspecto do it yourself das transmissões, mas é importante mexer os pauzinhos para deixar os seus vídeos mais bacanas e atraentes para a audiência. Primeiramente, invista na captação das imagens. Se possível, filme os acontecimentos de perto e em um espaço com o mínimo de ruído possível, especialmente se o livestreaming for de uma palestra ou conferência, para que a audiência possa compreender bem o que está ouvindo.

Para evitar que o vídeo saia tremido, use um tripé ou uma plataforma fixa para estabilizar o seu celular durante a transmissão. Na hora de começar a transmitir, certifique-se da qualidade e rapidez da sua conexão com a internet. Isso fará toda a diferença durante o desenrolar da transmissão!

E aí, gostou das dicas sobre como usar o livestream em eventos? Compartilhe suas opiniões conosco nos comentários!