Como harmonizar os pratos de fim de ano com whisky

Queijo, peru e sobremesa. Dicas preciosas da embaixadora do Chivas Regal no Brasil, Paula Limongi.

eventick - harmonizar pratos de fim de nao com whisky

Foto: Embaixadora Chivas Regal Brasil – Paula Limongi (Página no Facebook)

Dezembro é época de celebrar, confraternizar com a família, os amigos e os companheiros de trabalho. Apesar de todo mundo já estar acostumado à chamada “temporada das confras”, sempre surgem aquelas dúvidas: quais os pratos que devem ser servidos para agradar a todos e fazer a diferença em um evento? Mais ainda: com que bebidas eles podem ficar ainda mais saborosos?

Para nos dar uma mãozinha nessas questões, batemos um papo com quem realmente entende do assunto. A embaixadora do Chivas Regal no Brasil Paula Limongi nos deu algumas dicas preciosas sobre harmonização do whisky com alguns dos pratos mais queridos das festas de fim de ano. Cheers!

EVENTICK – Uma entrada que nunca falta nas ceias de natal é a amada tábua de frios, que reúne queijos e embutidos de vários tipos. Quais os queijos e frios que mais combinam com o whisky? Por outro lado, quais as opções que devem ser evitadas quando o escolhido for o whisky? Como a idade da bebida influencia nesta escolha?

PAULA – O queijos que mais harmonizam com o whisky são os de fibra dura, como o parmesão, grana padano e gouda. Em relação aos presuntos, sugiro os que tenham um toque defumado, pois amplifica as notas de defumação contidas no whisky. Fujam dos queijos que contenham fungo azul, a exemplo do gorgonzola e do roquefort. Eles são ótimos para harmonizar com vinho, no entanto chocam muito quando combinados com whisky.

O barril é responsável por 70% do sabor do whisky. Isso que dizer que quanto mais tempo ele passa envelhecendo, mas sabor ele adquire. Outro ponto importante é a redução do teor alcoólico. A maioria dos whiskies que consumimos tem 40% de teor alcoólico, todavia, quanto mais tempo ele passa no barril, menor é a sensação de álcool percebida. É o famoso “queimor” que às vezes sentimos na garganta ao engolir.

No caso dos whiskies envelhecidos, essa sensação quase não aparece. Para ter certeza de que o whisky é envelhecido, basta procurar o número que está no rótulo. Esse número revela a idade mais nova do blend que contém no whisky. Caso não haja nenhuma idade no rótulo, isso quer dizer que o whisky é um whisky standard ou como costumados chamar “non aged” (sem idade).

EVENTICK – Falando agora sobre os pratos principais, em relação ao famoso peru de natal, qual a melhor forma de harmonizá-lo com o whisky? E o tradicional bacalhau de fim de ano? Quem prefere carne ao invés de peixe ou peru deve optar por que tipo(s) de whisky?

PAULA – Para o Peru, sugiro um whisky blended com leve defumação e notas de frutas para harmonizar com modo de preparo da carne. Recomendo o Chivas 12 anos. Para o bacalhau, sugiro um whisky do estilo Single Malt da região de Speyside, que são mais florais e mais frutados, lembrando o vinho branco.

Recomendo o The Glenlivet 12 anos, fácil de encontrar em empórios e supermercados. Já para as carnes, sugiro que caso levem molho, que sejam do tipo rosti ou flambados com o whisky que será consumido. Recomendo os whiskies do estilo blended também com leve toque de defumação.

EVENTICK -Quando o assunto são as sobremesas, quais as que melhor harmonizam com o whisky? Pratos que sempre marcam presença nas festas de Natal como Petit Gateau, Mousse de Chocolate ou Panetone devem ser degustados com que tipos (e idades) de whisky?

PAULA-Para a sobremesa, sugerimos whiskies mais envelhecidos e com notas doces como chocolate amargo, baunilha e amêndoas. Quanto mais envelhecido o whisky, mais ele se assemelha a um licor. Recomendo servir em um cálice pequeno e sem gelo.

Optar pelos whiskies acima de 12 anos de idade. O Chivas 18 anos harmoniza divinamente com sobremesas que levem chocolate e frutas secas, pois acentua as notas doces da bebida, provocando uma sensação muito agradável no paladar.