Meu participante é um pesadelo: como faz?!

Ele vai chegar, e é bom estar preparado.

eventick dor-de-cabeca

E aí que você tem aquele participante que não consegue falar com você sem ser um mala e você sente calafrios toda vez que lembra que está chegando a hora de falar com ele. Isso acontece com todos [inclusive com a gente], e se ainda não aconteceu com você, vai acontecer – ou pelo menos você conhece alguém que já passou por isso. É até uma coisa bem comum com quem trabalha lidando com o público. Não é uma situação muito confortável, mas não tem como evitar. O que nos resta é encontrar as melhores estratégias para conseguir lidar com essa situação.

Podemos enxergar o relacionamento com esses participantes através de 3 níveis: Nível 1, Nível 2 e “Nível 3 (Oh, Não!)”

Nível 1

No nível 1 você tem aquela relação em que as coisas se resolvem facilmente e com discrição através do diálogo entre as partes. Você pode tentar discutir com ele suas expectativas com relação a você e à sua empresa. Muitas vezes você terá que ceder, mudar sua forma de trabalho com eles e se ajustar ao que ele deveria esperar da sua empresa. Aos poucos tudo vai se ajustando e vocês poderão seguir em frente.

Nível 2

No nível 2 você abordou essa questão das expectativas, mudou sua forma de trabalho, mas, mesmo assim, seu participante ainda não está feliz [e continua um mala]. Aí é onde entra a terceira pessoa da relação [nesse caso, é permitido 😀]. Esse carinha pode ser um colega de trabalho, seu chefe, um amigo… Um olhar diferente sobre a situação pode fazer milagres. Quando a comunicação entre as partes se torna prejudicada, falha, as pessoas param de ouvir o que a outra está dizendo. Uma voz diferente e uma nova abordagem podem fazer as coisas voltarem aos eixos. Mesmo que você nunca tenha seguido uma linha de pensamento e não recomende seguir, você pode dar o braço a torcer e experimentar, certo?

Nível 3 (Oh, Não!)

Bom, o cara do nível 2 não quer cooperar e você atingiu o limite. Você pode fazer duas coisas nessa situação: pôr uma cara nova, mesmo que seja você puxando as cordinhas nos bastidores. Assim como no nível 2, um rosto diferente e uma voz doce, podem fazer milagres. A segunda opção para o “Nível 3 Oh, Não”, é simplesmente passar por tudo isso, claro, com sua dignidade intacta – seja finalizando a conversa com um educado “Eu não acredito que conseguiremos avançar nessa questão” ou abrindo mão da sua posição para aceitar a queixa do participante. Pode até ser uma chance de você mostrar que sua empresa é íntegra, fidelizando, assim, mais um participante. Acontece. Afinal, você nunca sabe como as pessoas vão reagir.

.

De maneira geral, tudo se resume a questões de:

  • Saber o posicionamento da sua empresa;
  • Manter uma aparência agradável/empática;
  • Tentar diferentes tons de voz e pessoas da organização;
  • Saber até onde você pode ir para satisfazer o participante.

Cada um tem seus truques para lidar melhor com as pessoas. Mas algumas dicas são sempre bem-vindas, principalmente quando a situação é atípica. Se você já passou por algo parecido, divida com a gente nos comentários!